sábado, 17 de junho de 2017

Quem deixou meus pais envelhecerem?


                                                       

Meus pais não são velhos. Quer dizer, velho é um conceito relativo. Aos olhos da minha avó são muito moços. Aos olhos dos amigos deles, são normais. Aos olhos das minhas sobrinhas, são muito velhos. Aos meus olhos, estão envelhecendo. Não sei se lentamente, se rápido demais ou se no tempo certo. Mas sempre me causando alguma estranheza.

Lembro-me de quando minha mãe completou 60 anos. Aquele número me assustou. Os 59 não pareciam muito, mas os 60 pareciam um rolo compressor que se aproximava. Daqui uns anos ela fará seus 70 e eu espero não tomar um susto tão grande dessa vez. Afinal, são apenas números.

Parece-me que a maior dificuldade é aprendermos a conciliar nosso espírito de filho adulto com o progressivo envelhecimento deles.
Estávamos habituados à falsa ideia que reina no peito de toda criança de que eles eram invencíveis. As gripes deles não eram nada, as dores deles não eram nada. As nossas é que eram graves, importantes e urgentes.

E de repente o quadro se inverte.
Começamos a nos preocupar, frequentemente de forma exagerada, com tudo o que diz respeito a eles.
A simples tosse deles já nos parece um estranho sintoma de uma doença grave e não uma mera reação à poeira.
Alguns passos mais lentos dados por eles já não nos parecem calma, mas sim uma incômoda limitação física.
Uma conta não paga no dia do vencimento nos parece fruto de esquecimento e desorganização e não um simples atraso como tantos dos nossos.

Num dado momento já não sabemos se são eles que estão de fato vivendo as sequelas da velhice que se aproxima ou se somos nós que estamos excessivamente tensos, por começarmos a sentir o indescritível medo da hipótese de perdê-los- mesmo que isso ainda possa levar 30 anos.

Frequentemente nos irritamos com nossos pais, como se eles não estivessem tendo o comportamento adequado ou como se não se esforçassem o bastante para manterem-se jovens, vigorosos e ativos, como gostaríamos que eles fossem eternamente.
De vez em quando esbravejamos e damos broncas neles como se estivéssemos dentro de um espelho invertido da nossa infância.

Na verdade, imagino eu, nossa fúria não é contra eles. É contra o tempo. O mesmo tempo que cura, ensina e resolve é o tempo que avança como ameaça implacável.
A nossa vontade é gritar “Chega, tempo! Já basta! 60 já está bom! 65 no máximo! 70, não mais do que isso! Não avance, não avance mais!”.
E, erroneamente, canalizamos nos nossos pais esse inconformismo.

O fato é que às vezes a lentidão, o esquecimento e as limitações são, de fato, frutos da idade. Outras vezes são apenas frutos da rotina, tão naturais quanto os nossos equívocos.
Seja qual for a circunstância, eles nunca merecem ter que lidar com a nossa angústia. Eles já lidaram com os nossos medos todos:  de monstros, de palhaços, de abelhas, de escuro, de provas de matemática, ao longo da vida.

Eles nos treinaram, nos fortaleceram, nos tornaram adultos. E não é justo que logo agora eles tenham que lidar com as nossas frustrações. Eles merecem que sejamos mais generosos agora.

Mais paciência e menos irritação.
Menos preocupação e mais apoio.
Mais companheirismo e menos acusações.
Menos neurose e mais realismo.
Mais afeto e menos cobranças.

Eles só estão envelhecendo. E sabe do que mais? Nós também.
E é melhor fazermos isso juntos, da melhor forma.

Texto: Ruth Manus
Fonte : Estadão

sábado, 10 de junho de 2017

Toda Idade Tem Sua Juventude


Grupo Laços 
Faculdade Unica - Ipatinga Mg

Entra pela velhice com cuidado,
Pé ante pé, sem provocar rumores
Que despertem lembranças do passado,
Sonhos de glórias, ilusões de amores.

Do que tiveres no pomar plantado,
Apanha os frutos e recolhe as flores;
Mas lavra, ainda, e planta o teu eirado,
Que outros virão colher quando te fores.

Não te seja a velhice enfermidade.
Alimenta no espírito a saúde,
Luta contra as tibiezas da vontade.

Que a neve caia, o teu ardor não mude.
Mantém-te jovem, pouco importa a idade;
Tem cada idade a sua juventude!...

Bastos Tigre



Bastos Tigre

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Segundo Sarau Literário do Grupo Laços- FOTOS

 Álbum 2















Segundo Sarau Literário do Grupo Laços - FOTOS

Álbum de Fotos -1

Grupo Laços em mais uma inesquecível Tarde Literária !
















sábado, 20 de maio de 2017

Livrai-me Senhor, de Virar uma Velha Chata!



Oração de uma madre superior esclarecida, comunicativa e consciente de suas limitações.
Sua prece é uma obra prima de bom humor e compreensão do que lhe competia fazer para viver o Evangelho.


"Senhor, vós sabeis melhor do que eu que estou envelhecendo e um dia ficarei velha.

Não permitais que eu me torne tagarela e nem que eu adquira o hábito fatal de achar que preciso opinar sobre todos assunto em todas as ocasiões.

Livrai-me de querer a cada momento tentar resolver os problemas de todo mundo.

Conservai minha mente livre da enumeração de intermináveis pormenores: dai-me asas para ir direto ao assunto.

Dai-me  a delicadeza suficiente para ouvir as narrativas dos males alheios.
Ajuda-me a suportá-los com paciencia.

Selai meus lábios quanto a meus próprios achaques e dores: eles estão aumentando Senhor, com o peso dos anos.

Ensinai-me a maravilhosa lição de que as vezes pode ser que posso estar errada.

Conservai-me razoavelmente meiga;  não quero ser uma santa__ algumas são tão difíceis de suportar!__  mas uma velha amargurada, Senhor, é uma das obras primas do diabo.

Fazei-me ponderada, mas não carrancuda.
Prestativa, mas não mandona .

Com todas as minhas vastas reservas de sabedoria, será uma pena não usar todas.
Mas vós sabeis, Senhor, que no fim quero ter alguns amigos."

Fonte: Reformador 
           Revista de Espiritismo Cristão
           


sexta-feira, 28 de abril de 2017

Juventude da Maturidade



Só quem atravessa ao menos cinco décadas de vida pode entender a bênção que é entrar na segunda juventude.

Claro que antes é preciso passar pelo purgatório.

Poucos chegam aos 50 anos sem fazer uma profunda reflexão sobre a finitude, e dá um frio na barriga, claro.

Amedronta principalmente quem ainda não fez nem metade do que gostaria de já ter feito a essa altura. Será que vai dar tempo?

Passado o susto, a resposta: vai.
E se não der, não tem problema. Você não precisa morrer colecionando vontades não realizadas.

Troque de vontades e siga em frente sem ruminar arrependimentos. Você finalmente atingiu o apogeu da sua juventude: é livre como nunca foi antes.

Então, não passe mais nem um dia ao lado de alguém que lhe esnoba, lhe provoca, que não se importa com seus sentimentos.

Pare de inventar razões para manter seus infortúnios, você já fez sacrifícios suficientes, agora se permita um caminho mais fácil.

Se ainda dá trela a fantasmas, se ainda pensa em vingancinhas ordinárias, se ainda não perdoou seus pais e seu passado, se ainda perde tempo com vaidades e ambições desmedidas, se ainda está preocupado com o que os outros pensam sobre você, está pedindo: logo, logo virará um caco.

Para alcançar e merecer a segunda juventude, é preciso se desapegar de todas aquelas preocupações que havia na primeira.

 Quando essa Juventude Parte 2 terminar, não virá a Juventude Parte 3, mas o fim. Ou seja, esta é a última e deliciosa oportunidade de abandonar os rancores, não perder mais tempo com besteiras e dar adeus à arrogância, à petulância, à agressividade, ou seja, adeus às armas, aquelas que você usava para se defendercontra inimigos imaginários.

Agora ninguém mais lhe ataca, só o tempo – em vez de brigar contra ele, alie-se a ele, tome o tempo todo para si.

Eu sei que você teve problemas, e talvez ainda tenha – muitos.
Eu também tive, talvez não tão graves, depende da perspectiva que se olha. Mas isso não pode nos impedir a graça de sermos joviais como nunca fomos antes.

Lembra quando você dizia que só gostaria de voltar à adolescência se pudesse ter a cabeça que tem hoje? Praticamente está acontecendo.

Essa é a diferença que tem que ser comemorada. Na primeira juventude, tudo vai acontecer. Na segunda, está acontecendo.

Martha Medeiros

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Novos Interesses ...Sempre!

Olá pessoal !
Voltei!

Agora, apaixonada pela fotografia, coisa que combina perfeitamente com minhas andanças .



Sempre tive vontade de abraçar esse hobby mas as circunstâncias não o permitiam.


Não é atoa que digo:
- Envelhecer tem suas vantagens!
De repente tudo muda!
O que parecia ser o começo do fim, é recomeço do início.

Não acredita?!
Bom, isso depende de você!
A mudança só acontece para quem quer... e a busca!